A nova edição da NBR 9050Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos (2020) trás uma série de desenhos novos. Talvez o mais importante seja o desenho que apresenta um exemplo de Dormitório acessível – com área de circulação mínima, conforme a Figura abaixo.

Fonte: ABNT (2020, p. 129)

Alguns itens importantes que temos que considerar para entender este desenho:

  • A cota de 60 cm necessária entre a abertura da porta de acesso ao quarto e a parede mais próxima;
  • A passagem livre de 80 cm para os vãos de porta;
  • As distâncias mínimas entre a cama e as paredes envoltórias e a frente da cama;
  • o dimensionamento do mobiliário (NBR 15575);
  • O layout do banheiro, com as medidas que a NBR 9050 determina;

A primeira coisa a lembrar é que Normas não existem sozinhas. Portanto, para as Portas, devemos nos ater ao fato de que a NBR 15930Portas de madeira para edificações (2018) – estabeleceu que a dimensão das folhas das portas de madeira definem seu tamanho. Considerando os detalhes da aduela/batente da porta significa que o “vão luz” é sempre menor que a folha da porta. Uma porta com Folha de 80 cm tem vão luz aproximado de 78cm.

Assim sendo, para garantir uma passagem livre mínima de 80cm temos que adotar a porta de Folha 90cm!

Esta informação, somado aos 60cm explicados no item 6.11.2 Portas (ABNT, 2020, p. 69), nos ajudam a começar o nosso desenho.

Fonte: ABNT (2020, p. 70)

Informações importantes para a construção do desenho do banheiro: as medidas de distância de eixo do vaso em relação a parede, do chuveiro, do lavatório estão ao longo da Norma. É necessário lê-la inteira para conseguir chegar a um layout que atenda as medidas.

Para o quarto em si, o mobiliário deve atender NO MÍNIMO o que diz a NBR 15575 – 1 – Edificações Habitacionais – Desempenho – Parte 1 – Requisitos Gerais (2013), em seu anexo F.

Somando todas essas informações, chegamos ao desenho abaixo:

Fonte: Sbarra (2020), baseado em ABNT (2020)

No desenho, as medidas estão em OSSO. Considerei 0,5 cm de espessura de pintura e 1,5cm de cerâmica no banheiro. Com isso, chegamos a uma área de cerca de 28m².

Importante: trata-se de uma suíte, que em tese está dentro de um apartamento. No caso de de projetar uma unidade residencial acessível formada somente por estes ambientes mais a Área de Preparo de Alimentos, chegamos, facilmente, a mais de 30m².

Desta forma, todos os projetos a partir desta revisão da norma terão que ser re-estudados. O “famoso” apartamento de 10m² nunca mais será possível de ser projetado.

Fontes:

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 15575-1 – Edificações habitacionais – Desempenho – Parte 1: Requisitos gerais. Rio de Janeiro: ABNT, 2013.

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 15930 – Portas de madeiras para edificações. Rio de Janeiro: ABNT, 2018.

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 9050 – Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro: ABNT, 2020.

Para citar este artigo corretamente:

SBARRA, Marcelo. Dormitório acessível – área de circulação mínima – NBR 9050 (2020). Marcelo Sbarra, São Paulo, 02 set. 2020. Disponível em: https://marcelosbarra.com/2020/09/12/dormitorio-acessivel-area-de-circulacao-minima-nbr-9050-2020/. Acesso em 12 de set. 2020.

Observação importante: estas informações são direcionadas a projetos acadêmicos – para projetos “da vida real” é indispensável a contratação de um Arquiteto para a verificação das necessidades de seu projeto e adequações à legislação de sua municipalidade.

© Marcelo Sbarra. Os projetos mostrados neste artigo são protegidos pela Lei de Direito Autoral (Lei 9.610/98) e Resolução 67/2013 do CAU/BR.

Licença Creative Commons


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.