A Escada cruzada é uma boa opção para projetos que necessitem de 2 Escadas de Incêndio pois conseguem resolver a circulação de 2 Escadas independentes ocupando o espaço (um pouco maior) do que seria ocupado por uma única Escada – possibilitando que o aproveitamento do pavimento tipo seja mais eficiente e com mais “áreas de carpete” (áreas destinadas ao uso de escritórios propriamente dito)

Para efeito didático, consideraremos os seguintes dados de projeto:

  • O Embasamento do Edifício (Térreo e 1º Pavimento) é ocupado por Comércio (Lojas e Serviços em geral)
  • O 2º pavimento é utilizado como Pilotis e serve para fazer a transição entre o Comércio e a Torre de Escritórios.
  • Os pavimentos 3º ao 14º são pavimentos tipo, ocupados por Escritórios.
  • A altura total da Edificação será de 56,00 m.
  • O pavimento tipo tem área computável de 800,00 m2
  • Pelo cálculo do número de vagas, são necessárias 182 vagas de automóveis para atender a Torre de Escritórios, que serão distribuídas em 3 subsolos.
  • Construtivamente, a Edificação foi projetada para resistir ao fogo
  • A Escada Cruzada possui portas PCF (portas corta-fogo) que possuem distância maior que 10,00m entre as portas.

Os piso-a-pisos (desníveis) definidos para o projeto são:

  • 14º pavimento (último tipo): 3,24m
  • 3º ao 13º pavimento tipo: 3,06m
  • 2º pavimento (Pilotis): 3,06m
  • 1º pavimento (Comércio): 5,04m
  • Térreo (Comércio e Acesso a Torre Corporativa): 5,04m
  • 1º subsolo: 3,60m
  • 2º e 3º subsolos: 2,88m

Como vimos no artigo anterior (link aqui) as Escadas para Edifícios de Escritórios possuem exigências diferentes daquelas para Edifícios habitacionais, por exemplo. Talvez a exigência mais impactante seja a exigência de 2 escadas de incêndio, para alturas de Edifícios superiores a 36,00m (IT-11/Bombeiros).

Vamos considerar, somente para efeito didático, que o pavimento tipo deste projeto seja este abaixo:

Observe que a Circulação Vertical (Escada + Elevadores) está centralizada em um único Núcleo Rígido. Isto só é possível, neste caso, devido a utilização da Escada Cruzada.

Para entendermos como funciona a Escada Cruzada devemos fazer o percurso que o usuário faria: o primeiro do subsolo em direção ao Térreo e o segundo dos pavimentos da Torre de Escritórios em direção ao Térreo.

Isso é fundamental pois no Pavimento Térreo (Pavimento de descarga) é onde ocorre a descontinuidade da escada: em outras palavras, quem vem do subsolo sai por uma porta no térreo e se quiser continuar a subir a escada em direção a Torre de Escritórios precisa entrar por outra porta; da mesma forma, quem está descendo a partir do Tipo sai no térreo e se quiser continuar a descer para o subsolo precisa entrar novamente na escada, por outra porta.

Esta estratégia visa proteger o usuário em caso de incêndio, para que ele necessariamente saia no pavimento Térreo (NBR 9077 e IT-11).

Uma questão fundamental ao dimensionar a Escada: tanto a NBR 9077 e a IT-11 estabelecem que o lanço máximo a ser vencido é de 3,70m: isso significa que escadas que ultrapassem essa altura necessitam de patamar.

Vamos começar pela escada que vai do 3º subsolo em direção ao Térreo.

A escada que aparece na Planta do 3º Subsolo terá a seguinte representação:

Observe que o usuário tem a possibilidade de acessar a Escada por 2 portas PCF diferentes. Escadas sempre são representadas para o sentido de subida (nunca descida): o texto sobre a seta de indicação de sentido ajuda a compreender: ” vai ao 2º subsolo”. A partir de 1,50m de altura (em torno do 9º degrau) a escada está cortada: os degraus seguintes ( que chegam no 2º subsolo) são representados tracejados.

Observe também o espaço para o Módulo de Referência (0,80 x 1,20m) exigido pela NBR 9050, para área de resgate da PCD. A escada é pressurizada, então só possui uma porta e os respectivos shafts de pressurização para cada escada.

Você perceberá que as escadas não estão alinhadas neste pavimento: isso acontece por conta da altura livre mínima necessária (2,00m) para o usuário passar por uma escada e você compreenderá isso observando o Corte A, mais adiante.

A escada que aparece na Planta do 2º Subsolo terá a seguinte representação:

Observe que apesar de vencer o mesmo piso-a-piso da escada do 3º subsolo, a representação muda.

Agora já enxergamos quatro lanços de escada acontecendo ao mesmo tempo. No 2º subsolo vemos a escada que “vai ao 1º subsolo” e a escada que ” vem do 3º subsolo”, para cada uma das 2 escadas que estão acontecendo ao mesmo tempo.

A escada que aparece na Planta do 1º Subsolo terá a seguinte representação:

Nesta escada vemos novamente 4 lanços de escada: a escada que “vai ao Térreo” e a escada que ” vem do 2º subsolo”, para cada uma das 2 escadas que estão acontecendo ao mesmo tempo.

A escada que aparece na Planta do Térreo terá a seguinte representação:

Esta é a Escada mais importante de ser compreendida.

Observe que temos 4 portas de escape, todas abrindo para fora da escada, pois é o sentido de fuga: isto só acontece no Térreo, porque é o Pavimento de descarga.

Observe também que são 4 lanços diferentes ocorrendo ao mesmo tempo: a escada que “vem do 1º subsolo” e a escada que “vai ao 1º pavimento”, para cada uma das 2 escadas que estão acontecendo ao mesmo tempo.

A melhor maneira de compreender essa intrincada geometria é fazer o percurso novamente: volte a planta do 3º subsolo e escolha a porta a sua Esquerda para começar a subir em direção ao Térreo. Você perceberá que chegando ao Térreo você sai pela porta da Direita!

Percaba também que quem chegou do subsolo e quer continuar a subir em direção ao 1º pavimento precisa sair da escada por uma porta e entrar novamente pela outra – é a descontinuidade exigida pelas normas.

No Térreo não há necessidade da área de resgate e do Módulo de Referência, pois considera-se que a PCD já está a salvo neste pavimento.

Agora escolha novamente a porta da Esquerda e suba em direção ao 1º pavimento.

A escada que aparece na Planta do 1º Pavimento terá a seguinte representação:

Lembre-se que neste 1º Pavimento está acontecendo as Lojas e, portanto, os Elevadores e as Escadas não abrem neste pavimento – por motivos de segurança, para que o usuário que esteja neste pavimento não acesse a circulação vertical e tenha livre acesso aos Pavimentos da Torre de Escritórios.

Os usuários do Centro Comercial/Lojas terão uma circulação separada para eles, que pode ser feita por escada, elevadores, rampa, escada rolantes, etc: caso o desnível do Centro de Compras seja inferior a 12,00m não é necessário escada de incêndio.

Como é somente lanços de escadas acontecendo, sem acesso de usuários neste pavimento, também não é necessário o espaço para a PCD.

A escada que aparece na Planta do 2º Pavimento (Pilotis) terá a seguinte representação:

Observe que esta é a Escada que dita o dimensionamento de todas as outras.

Nesta escada chega o lanço que ” vem do 1º pavimento” e começa a escada que vai para os pavimentos tipo, neste caso, “vai para o 3º pavimento”. Em outras palavras, é a escada onde aparecerá, ao mesmo tempo, a escada que vence o maior piso-a-piso (5,04m) e que, portanto, necessita de maior número de degraus, a escada que vence o piso-a-piso do pavimento tipo (3,06m).

Observe que o raio de giro de quem “vem do 1º pavimento” praticamente tangencia o raio de giro do Módulo de Referência da PCD – isto nos prova, graficamente, que a escada não poderia ser nenhum centímetro menor do que este tamanho.

Por isto, nos demais pavimentos, há a falsa sensação de que há “espaço sobrando” dentro da escada. Não há, de forma alguma. Lembramos que a Caixa de Escada tem que ter a mesma dimensão em todos os pavimentos, pois forma o Núcleo Rígido de Circulação Vertical – que tem a tripla função de circulação vertical, proteção contra incêndio e reforço estrutural.

A escada que aparece na Planta do Pavimento Tipo – (3º ao 13º Pavimentos) terá a seguinte representação:

Veja que se você fizesse seu projeto partindo do dimensionamento somente da Escada do Pavimento Tipo TODOS os demais pavimentos teriam problemas – simplesmente a quantidade de degraus não caberia na Caixa de Escada!

A escada que aparece na Planta do 14º Pavimento (último pavimento tipo) terá a seguinte representação:

Observe que por ser o último lanço de escada só vemos a escada que “vem do 13º pavimento”, em vista.

A escada não continua para os Pavimentos Técnicos acima: o acesso a esses pavimentos se dará através de um alçapão localizado dentro da àrea técnica (representado em trecejado, pois o furo está na laje do teto deste pavimento)

Se você começou a subir a escada no Térreo pelo lado Esquerdo, chegará neste último pavimento também pelo lado Esquerdo; no entanto, em cada pavimento você sairá por um lado diferente da Escada!

Na Planta do Barrilete teremos a seguinte representação:

Observe que o espaço ocupado pela Escada será ocupado pelos Reservatórios Superiores e os Elevadores já não abrem mais para a circulação. Vemos também os dois alçapões por onde se tem acesso a este Pavimento.

Na Planta do Ático teremos a seguinte representação:

O Ático corresponde a um Pavimento Técnico. Neste caso, teremos os dois Reservatórios Superiores, a Casa de Máquinas de Elevadores, Casa de Máquinas de Pressurização e uma série de outras áreas técnicas (como Central de Água Gelada, para o Sistema de Ar Condicionado Central, Placas Solares, Pátio de Antenas, etc. Estamos representando neste trecho apenas as àreas técnicas que se situam na região do Núcleo Rígido.

Acima da Planta do Ático temos a Planta de Cobertura, que nos mostrará as lajes que cobrem os ambientes existentes no Ático.

No próximo artigo veremos o Corte A em detalhes.

Estas informações são direcionadas a projetos acadêmicos – para projetos “da vida real” é indispensável a contratação de um Arquiteto para a verificação das necessidades de seu projeto e adequações a legislação de sua municipalidade.

Marcelo Sbarra

Veja todas as postagens

ANÚNCIO

ANÚNCIO

ANÚNCIO

ANÚNCIO